Fazer aeróbico em jejum faz bem ou mal à saúde?

Se você é um adepto da prática dos exercícios aeróbicos, é possível que já tenha questionado sobre o que é mais eficaz para queima de gordura: correr ou não correr em jejum?

Toda pessoa que realiza algum tipo de exercício físico, seja ele de forma simples ou que exija maior esforço, precisa de uma rica fonte de nutrientes e energia para atingir os resultados almejados. O jejum, no entanto, não garante esse armazenamento de componentes tão importantes para a prática desses movimentos programados.

Quando se fala em correr em jejum, há questionamentos ainda maiores sobre a queima de gordura ser de forma mais rápida ou não, e se é prejudicial à saúde.

Segundo alguns especialistas esse comportamento não é diretamente visto como algo prejudicial porque existem pessoas adeptas à prática, como alguns atletas, que possuem o organismo preparado para este modelo de treinamento. No entanto, pode promover alguns malefícios a quem quer realizar, mas não tem o organismo preparado.

 

Whatsapp (79) 99106-3976

Não basta só preço, tem que ter qualidade!

De acordo com profissional de Educação Física André Zaady, “esse modelo de treino realizado por pessoas que não são adeptas pode causar mal-estar durante o exercício e baixo rendimento porque o corpo está despreparado e pode cansar mais rápido, já que está sem a fonte ideal de energia”.

A nutricionista Laís Bispo explica que, primeiro, é necessário saber que o jejum deve ser contado a partir do horário em que foi realizada a última refeição e não essencialmente da hora em que acordou.“Para praticar algum aeróbico em jejum, é necessário ter em mente que, no período em que o corpo estava sem receber alimentação, ou seja, no jejum, o organismo já estava acessando as reservas de energia e utilizando-as. Então, ao realizar um exercício físico em jejum, as reservas de energia serão utilizadas com mais intensidade”, informou a profissional.

Quando se realiza um aeróbico em jejum e o organismo não está acostumado, o risco de se ter uma hipoglicemia é maior. Além de outros danos ao organismo, como maior facilidade a ter lesões e até entrar em um quadro grave de anorexia se privando de comer, porque a pessoa pode começar a ter uma percepção de que, mesmo se exercitando em jejum, perde pouco peso. Por isso, é importante o acompanhamento profissional para quem quer praticar a corrida e deseja fazer isso em jejum.

Por redação