Valeriana realmente trata a ansiedade? Descubra os seus benefícios e contra indicações!

valeriana, também conhecida como erva-dos-gatos, é uma espécie de planta medicinal muito antiga, mas apenas recentemente conquistou espaço e respeito entre os cientistas. Após estudos, foi comprovada a eficácia do uso de valeriana no combate à insônia, sendo, hoje, muito utilizada também como medicamento fitoterápico. Além disso, a erva é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por seus benefícios contra a ansiedade. Não à toa, seu nome científico é derivado do latim valere, que significa “ter saúde”.

Por possuir diversas propriedades sedativas e também relaxantes, a valeriana serve como um calmante 100% natural contra a depressão e o estresse, e é indicada ainda para outros inúmeros sintomas, dentre eles:

  • Reações histéricas
  • Hiperatividade
  • Cãibras
  • Dermatoses pruriginosas
  • Convulsões
  • Enxaquecas e dores de cabeça
  • Crises epiléticas
  • Cólicas menstruais e sintomas da menopausa
  • Ataques de pânico
  • Neurastenia
  • Arritmia cardíaca

Ela ainda é muito utilizada no tratamento de doenças crônicas, como a doença celíaca, o transtorno de déficit de atenção, a síndrome de fadiga crônica e a doença de Crohn (inflamação crônica no estômago), e até mesmo para controlar alguns tipos de vícios, como o tabagismo e o alcoolismo, já que os componentes da valeriana ajudam a combater a ansiedade e a insônia decorrentes da abstinência.

Compre agora este produto na Caveira Suplementos

A erva não tem um cheiro muito agradável ao olfato humano, diferente do que ocorre com os felinos – o nome popular “erva-dos-gatos” deve-se ao efeito de euforia que a planta causa nesses animais (é indicado evitar deixar a planta próxima a eles). Desse modo, a raiz e o rizoma da valeriana são as partes mais utilizadas para o consumo humano. Dessas partes, são feitos suplementos, chás, cápsulas e comprimidos, que podem ser encontrados em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação ou feiras livres.

Apesar dos seus inúmeros benefícios comprovados, é necessário procurar uma orientação médica antes de iniciar o seu uso. As reações são variadas e algumas pessoas ficam sedadas mesmo com uma dose pequena. Em outras, a erva valeriana pode provocar um efeito estimulante. A superdosagem pode ter efeitos colaterais tais como tonturas, náuseas, fadiga, vômitos e ainda indisposição gastrointestinal.

Não é aconselhável misturá-la com bebidas alcóolicas, outros medicamentos sedativos ou outras plantas semelhantes (como erva catnip, lúpulo, melatonina ou sálvia), pois dessa forma seu efeito pode ser intensificado e gerar sonolência.

valeriana também não é indicada para gestantes, pessoas que possuem alergias respiratórias e crianças menores de três anos. Além disso, a valeriana não deve ser utilizada por tempo prolongado, independente da forma como for consumida. É recomendado o período de quatro a seis semanas para completar o tratamento, mas sempre consulte um médico para saber o que ele pensa a respeito do uso para o seu caso.

Siga o Personal André Zaady nas redes sociais:

Instagram

Facebook

Assista abaixo o programa Personal TV: