Obesidade aumenta os riscos de morte pelo novo coronavírus

Os infectados pelo novo coronavírus têm o dobro de probabilidade de necessitar de ventilação mecânica quando sofrem de obesidade e o dobro de risco de serem hospitalizados caso tiverem feito radioterapia para câncer no último ano, de acordo com os primeiros dados sobre a piora dos pacientes com o Covid-19 que estão aparecendo.

A Sociedade Espanhola para o Estudo da Obesidade (Seedo) fez uma síntese das evidências científicas publicadas até agora e a relação é clara: pessoas com sobrepeso ou obesidade infectadas pelo vírus têm piores índices de sobrevivência e uma evolução pior do que o resto, comenta Francisco Tinahones, presidente da sociedade.

Whatsapp (79) 99106-3976

Não basta só preço, tem que ter qualidade!

A lupa está colocada nesta questão desde o início da pandemia. Na China, um primeiro trabalho calculou que cerca de 88% dos mortos pela covid-19 tinham um índice de massa corporal (IMC, valor obtido pela divisão do peso de uma pessoa em quilos pelo quadrado de sua altura em metros) maior do que 25, que é considerado o limite a partir do qual começa o sobrepeso. Esse percentual é superior à média das pessoas com sobrepeso ou obesidade no país, que é de cerca de 54% da população. Entre os sobreviventes, 91,1% estavam abaixo desse valor.

Também um estudo francês, o mais relevante sobre o tema até o momento, segundo Tinahones, determinou uma relação entre o sobrepeso e a obesidade com a necessidade de usar respiradores em pessoas com coronavírus. E o resultado foi que 75% dos que necessitaram desse tratamento, que se dá quando a pneumonia por Covid-19 avança e é grave, tinham sobrepeso ou obesidade (no conjunto da França, segundo dados da OCDE, cerca de 50% da população têm essa condição) e sua necessidade de respiradores chegou a ser o dobro daquela do conjunto dos afetados.

Por redação